Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

QUINTA DO QUIM

FADOを歌おう、キンちゃん邸

FADOを歌おう、キンちゃん邸

Coentrada

台所歌謡でお馴染みのロズィーニャ。
今度はコリアンダーをじゃんじゃん使っている。

Eu Faço De Coentrada -- Rosinha 

Meu amor só quer carninha

seja ao almoço e ao jantar
Assim bem suculenta
com grelinhos a acompanhar

 

Eu já fiz vários molhos
para a refeição ele poder comprar
Mas ele quer sempre o mesmo
diz que não vai enjoar

 

Quero no coentro um alhinho
com muito azeite bem regado
E eu faço sempre isso
só para agradar ao meu amado

 

Eu faço sempre de coentrada
eu faço sempre de coentrada
Eu sei que ele gosta muito
e a mim não custa nada


De início custou um bocadinho
porque eu não estava acostumada
Mas agora de tanto fazer
posso dizer: que até me agradar

 

Para o meu amor seja qual for o prato
este molho tem que existir
Basta me olhar em seus olhos
e eu veijo-o a pedir

 

Quero no coentro um alhinho
com muito azeite bem ragado
E eu faço sempre isso
só para agradar ao meu amado

 

Eu faço sempre de coentrada
eu faço sempre de coentrada
Eu sei que ele gosta muito
e a mim não custa nada

 

コリアンダーが出てきたので、せっかくだから、豚足のコリアンダー煮(Pezinhos de Coentrada)を紹介しておく。
これは、アレンテージョの料理なのかな。
次の動画では、手の込んだ丁寧な作り方をしているね。
私としては、もうちょっと男の手料理的に雑な作り方で勘弁してもらおうかな。
小麦粉でちょっととろみを出すのが、ミソのようだ。

 

 

Gisela João

バルセロスうまれの Gisela João 。にわとりのようにけたたましいが、こんなにポンポンと機関銃のように勢いよく歌えたら、さぞかし爽快だろうなあ。

 

Antigamente

 

Meu velho Fado Corrido
se foste dos mais bairristas
Porque te mostras esquecido
na garganta dos fadistas?

 

Explicou-me um velho amigo
como o fado era tratado
Tinha graça, o fado antigo
da forma que era cantado

 

Um ramo de loiro à porta
indicava uma taberna
E à noite era uma lanterna
com sua luz quase morta

 

Sob os cascos da "vinhaça"
deitada em forma bizarra
Estava sempre uma guitarra
para servir de "negaça"

 

Um canjirão da "murraça"
de tosco barro vidrado
Andava sempre colado
aos copos p'lo balcão
E era assim nesta função
como o fado era tratado

 

Logo havia um tocador
às vezes até "zaranza"
Pedia ao tasqueiro a banza
para mostrar seu valor

 

Pouco tempo decorrido
cheia a taberna se via
P'ra escutar a cantoria
ao som do fado corrido

 

Todos prestavam sentido
quando alguém cantava o fado
O tocar era arrastado
o estilo dava a garganta
E hoje pouca gente o canta
da forma que era cantado

 

Escutei com atenção
um cantador do passado
E a sua linda canção
prendeu-me p'ra sempre ao fado

 

Por muito que se disser
o fado é canção bairrista
Não é fadista quem quer
mas sim quem nasceu fadista

 

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2006
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D